azul de março






Lembras-te? daqueles vestidos de algodão, bordados com pequenas flores azuis e rodávamos a saia e rodavam as pequenas flores azuis e a avó dizia, que fresco está março, não levem os vestidos brancos bordados de flores azuis na barra da saia. O vento sopra ainda nas serranias e os barcos presos na barra do porto e as bailarinas na barra a treinar e os juízes na barra a julgar e vocês, tolinhas, que frio e que chuva vão apanhar.
E nós pegávamos nas flores azuis de março, fechávamos os olhos com as pétalas macias e jurávamos, avó, como estão próximas as andorinhas.







11 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Estão bem, estão bem que por cá já convêm quer voem ou quer venham de trem!


JLF

Nana Flor disse...

Que lindooo ... lembrei da minha avó .... bjinhos em seu coração .

Rogerio G. V. Pereira disse...

Depois das flores azuis
as andorinhas

com o mar ao fundo

Se gosto?
Muito! Mesmo muito!

Mar Arável disse...

Todos os dias olho o alpendre
Ainda não chegaram
Começo a ficar preocupado

mz disse...

Que maravilha de lembrança!
Tenho miosótis no jardim,essas flores azuis e tão antigas, ainda com promessa de botão, lá apenas as violetas despontaram.

Um abraçinho para si,Manuela!

Graça Pires disse...

Comovente. Como são todas as memórias da inocência...
Uma boa semana, Manuela.
Um beijo.

Maria Eu disse...

Beleza poética à mistura com a ternura da infância! Lindo!

Beijos, Manuela :)

Maria Rodrigues disse...

Que lindas e ternas memórias.
Recordei também os meus tempos de infância.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Jacintinha Marto disse...

Ol´áá´´á´á´á...
caiu a folha do calendário, chegou 8 de março, foram-me buscar á acama, eu até estranhei, geralmente não me tiram do colchão antes da primavera, para me porem um vestido com flores,
nessa altura sou toda jacintos, é uma data linda do calendário, só é mais melhor o natal, em que empurram a imóvel para o lado do burro e da vaquinha, é um presépio vivo, vêm três reis magos, mas todos os meus olhos são só para um, e não digo qual,
agora,
8 de março, não sabia o que era,
jacinta é o dia da santa em forma de fêmea,
e eu,
pensei que fosse a hora da inválida, com os atrasos elétricos no kossovo, só chegava em março,
mas depois caí na real, por que todas as irmãzinhas da segurança social tinham lá fora um matulão gnr, como aquele que andou à procura do igor, no verão inteiro,
portanto,
queriam livrar-se da coxa, para irem para as celebrações...

Jacintinha Marto disse...

... lá me entornaram a cama articulada naquela avenida de queluz onde só pára o pior da terceira geração de imigrados,
como as mulheres estavam todas acasalada com flores, olharam para mim e viram aquele ectoplasma para ali plasmado, não tiro selfies, mas acho que, no pensar deles, devo ser a coisa mais parecida com uma mulher que tinham ali à mão,
à mão, e não só...
o resto não conto, que vocês já sabem, foi um verdadeiro horror,
fosse eu crente e diria que era uma santa teresa d'ávila a arrastar os êxtases em queluz de baixo, mas são tantas as diferenças, a outra aviava setas finas e com ponta,
eu fui vítima de setas rombas e grossas cheias de ponta,
quando o sol se levantou, toda eu era inchaços, tinha os olhos como o durão barrosos, quando caiu nas colmeias, toda a uma pasta de sangue e de bolhas,
vieram-me elas buscar,
eu só suspirava, sou como as baleias, também solto ares, depois do tormento,
começaram a dizer que tinha mensagens no messenger de um tal de Jaime Latino,
sei lá quem é o jaime latino, disse eu, com os olhos numa pasta,
e elas,
é um tuga,
Tuga, disse eu?...
sim, querida, branco como o colorau, parece um iogurte desnatado,
e eu, toda eu dores, pudesse eu senti-las,
só me lembro de dizer,
minhas queridas,
se é branco,
nem lhe toco,
bem basta estar constantemente a ser entregue ao martírio,
já que não posso escolher as doses,
ao menos poupem-me na cor,
benzó-deus,
e fico-me por aqui,
não sei se há mulheres nestes comentários, espero que só senhoras, e, se houver, um feliz dia a todas as que tiveram a sorte de o ser,
eu bem tentei, mas nunca fui,
nem consegui ir, além de esta coisa triste numa cama pasmada,
kisses da vossa entrevada,
o meu verdadeiro dia é só p'ra maio,,,,,,,

Graça Pereira disse...

Voltei e ainda bem...para me encher destas maravilhas!
A avó tinha razão....se as saias rodam demais...lá sevão as florinhas azuis de Março....
Um beijo que vale por uma eternidade de perdão.