a carta das estrelas





Tens frio? perguntou o menino. A raposa olhou-o, franzino, os olhos brilhantes, o casaquinho de malha a arrastar. E replicou-lhe, tens medo?
Não, disse o menino, mas posso acender as estrelas do céu e também as do mar. Como te chamas? perguntou a raposa. Menino. E tu? Raposa, respondeu a raposa.
Então o menino trepou para o dorso da raposa, segurou-se ao seu pescoço e começaram a caminhar. Atravessaram o gelo e os ursos seguiram-nos. Percorreram as florestas, os pântanos e os desertos e foram com eles os lobos, os cordeiros, os esquilos, os cavalos, os cães, as garças e os rouxinóis. Um ou outro pinguim e ao longe as baleias e os golfinhos. Às vezes paravam a descansar. A raposa sentava-se, uma estrela cintilava junto da sua orelha direita e o menino pousava a cabeça na sua cauda e adormecia. Os animais silenciavam-se e suspendiam a marcha, o voo, o mergulho, o salto e o canto. 
Não sei quando e onde chegaram, mas nessa noite, singulares foram aqueles que os encontraram e confiaram no traçado desse caminho.



 


Desejo-vos um Feliz Natal!






10 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


,,, e foram muitos como singulares e únicas são as histórias e os traçados que desenhando tu contas!

FELIZ NATAL


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Dezembro de 2017

Rogerio G. V. Pereira disse...

Contei teu conto ao lacrau, que se sentiu marginalizado
não pela lei da natureza, mas sim pelo que pensamos dos lacraus e pelas omissões nestas e noutras ocasiões em que só nos ocorrem raposas, cordeiros, esquilos, cavalos, cães, garças, rouxinóis, baleias e golfinhos...

Expliquei ao lacrau que ele era bicho afamado de mau
Respondeu-me, e quem garante que esse menino, quando crescer, não será melhor que eu?

Diz o mocho, que esteve também ausente:

se na marcha não houver alguém adverso o traçado pode muito bem sair errado... oiçamos o lacrau

Maria Silva disse...

A inocência e o amor, sempre ligados!
Obrigada. Gostei muito.
Feliz natal!
Maria

ki.ti disse...

e os gatos??? como é que te foste esquecer dos gatos?

no Natal não bastam os símbolos é preciso especifigatar!

© Piedade Araújo Sol disse...

um belo texto cheio de ternura e inocência
Desejo-lhe um bom Natal e um ano novo repleto de motivos de esperança e muito amor.
Beijinhos
:)

Luis disse...

Os mais belos natais e as melhores viagens de raposas por 2018 :-))))

mz disse...

Maravilhoso!
Quem tem medo quando se tem o dom fazer amizades?


Boas festas, Manuela!

Beijinhos

© Piedade Araújo Sol disse...

Manela

agradecida pelas visitas ao meu espaço durante este ano

desejo um bom ano de 2018 para si e os seus

Feliz Ano Novo

beijinhos

:)

Graça Pires disse...

O traçado do caminho foi feito pelas estrelas, pela certa.
Continuas a encantar-me com as tuas histórias e com os teus desenhos, Manuela.
Que o ano de 2018 seja para ti maravilhoso.
Um beijo, minha Amiga.

Rita Freitas disse...

Um feliz ano novo cheio de poesia e amor.
Abraço