deixa a baga do loureiro






berço
trave
cama
cadeira
cavalete
mesa
escada





  baloiço 
barco
cancela 
porta
ninho
tecto
chão




harpa
violino
piano
guitarra
violoncelo
pau de virar tripas
pião






se cuidas de mim, eu cuido de ti também











10 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

A madeira é um material de múltiplas aplicações.

:)

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Aplausos
palmas
bravo
bravíssimo
êxtase
bis
encore


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 1 de Julho de 2017

Rogerio G. V. Pereira disse...

Folha
Ramo
Tronco
Raiz
Húmus, húmus
Terra, terra
Cuidemos
e Oremos

nos encontraremos
na hora da rega

Rita Freitas disse...

"És responsável por aquele que cativas" :)

Beijinhos e boa semana

. intemporal . disse...

.

.

. mulato .

. preto .

. negro .

. cova da moura .

. jacintinha marto .

.

. :) .

.

. íssimo . feliz .

.

.

ki.ti disse...

a Jacintinha?

não vejo aqui nenhuma azinheira...

Luis Alves da Costa disse...

pedra
sol
perfume
giesta
amora
e
um vale perdido, ao lado de uma senda de Cascais.
Não sei se existe, mas aparece-me muitas vezes nos sonhos

Jacintinha Marto disse...

Eu sei que tenho andado retirada, mas tinha prometido que o primeiro comentário que ia fazer era aqui, nas histórias com entrevadinha ao fundo,
saí inválida e voltei santa,
as irmãzinhas tratam-me agora com mais respeito, dizem que estou mais nova, pareço a Georgina, aquela que anda a fazer de senhora do ó daquele rapaz dos futenboles que tem problemas com mulheres, também ando de barriga, mas é dos gases,
dieta de santa,
já não vinha aqui há dois meses, está tudo na mesma, as folhas são lindíssimas, é muita poesia para uma inválida só, agora ando a tirar lições de etiqueta e bom comportamento, queriam que eu começasse a comer com talheres, eu estou sempre com a boca virada para cima, só com um espelho por cima é que eu via a boca e o talher, mas como aquilo reflete ao contrário, entornava tudo, era só arroz por todo o lado,
fiquei muito cansada e disse,
irmã rosário,
tenha piedade, já chega, meta-me o tubo,
salvo seja,
eu prefiro comer entubada assim do que estar toda borradinha, benzó-deus,
olhe, novidadees?...
novidades, só mesmo aquele GNR de verde, parecia um espinafre, saiu na capa dos jornais todos, a irmã hottense, a piedade e irmãzinha santa joana princesa só falavam do rabo do homem, eu não conseguia ver rabo nenhum, elas só diziam,
que rijinho que aquilo deve ser,
rabo rijinho é com a Jacinta, que se agarra às esculturas da Cova da Moura...,
tanto insistiram e deram, à pedaleira, para pôr a cama de pé, que também vi o rabo do GNR,
fiquei cheia de medo, rabo, para mim, é sempre castanho, nunca tinha visto um rabo verde, pensei que estávamos a ser invadidas por marcianos, e elas a dizerem, o Iuri desapareceu, e o GNR apareceu, e a piscarem o olho para mim, que sou perita em aparições, e eu disse, não conte comigo que eu sou muito fiel às minhas cores, só galão da Praia, chocolate do Sal e noites do Fogo, coisas verdes... não, que fazem mal ao intestino, qualquer dia pensavam que eu, com o inchaço, era a Santa Georgina,
mas achei muito mal,
com a criança desaparecida,
que fosse o rabo do homem a sair em todos os jornais...

Jacintinha Marto disse...

E com esta ânsia toda de falar, até me esqueci de vir aqui comentar, mas vou já:

santa
aparição
pau-tição
rabo de vaca
laca
louca
quem me conhece
GNRèrrèsse

Bem hajam

kisses para todos, e para a ki.iti
e que a Manuela pinte,
dizem que agora anda a snifar carcumba, qualquer dia está de cor de caril, benzó-deus

Graça Pires disse...

água
sede
fonte
palavras mágicas
a voz materna
Uma boa semana, Manuela.
Um beijo.