Às vezes nevisco, nevada a vida, cristais de estrelas, nevoento este tempo e esta forma cristalina dentro do meu peito.
O coração é um pássaro solitário em busca do sopro quente de deus feito menino e nós homens feitos e tão pequenos ainda.

22 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Série branca, alva da cor da estrela!

Boas Festas


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 15 de Dezembro de 2013

Rogerio G. V. Pereira disse...

...homens feitos, tão pequenos ainda, e já tão crucificados...

Que os corações voem em bando!

Kika disse...

Kriu?

"Perigo de Gelo"

Kriu!

disse...

O Jaime precisou do triângulo?

. intemporal . disse...

.

.

. a brandura de uma brancura genuína . :) . isenta de esterilidade . alva e real .

.

. e é . quase natal .

.

.

. íssimo . feliz . e um sorriso do chão ao céu . de um lado a outro . :) .

.

.

Joaquim do Carmo (Quicas) disse...

... como "cristais de estrelas", as palavras voando "e nós homens feitos e tão pequenos ainda"!
E... as saudades que eu tinha deste "neviscar"!
Abraço

Vitor Chuva disse...

Olá, Manuela!

Às vezes neva lá fora, outras cá dentro - e então o coração procura aconchego.Que ele chegue em breve, trazido pelo Deus Menino.

Boa semana, com um abraço amigo.
Vitor

ki.ti disse...

foi preciso o círculo, Té

os cristais estragaram o tubo do depósito da água e o ponteiro subia

e eu sou gata, não percebo nada de mecânica

Mar Arável disse...

Um dia seremos
de novo crianças

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um dia se aguarda tudo possa
ser melhor e todos os sentidos...
Agradeço as suas palavras que
retribuo com muita amizade.
Feliz Natal.
Bj.
Irene Alves

disse...

Um dia seremos
de novo crianças

Kika disse...

Um dia seremos
de novo crianças

. intemporal . disse...

Um dia seremos
de novo crianças

© Piedade Araújo Sol disse...

um dia seremos
de novo crianças

:)

....

um texto tão curto e tão grande na sua essência.

e o coração será sempre um pássaro em busca do sopro quente do menino...

beijo

:)

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Um Deus feito menino
Os homens mais pequeninos
Um sonho e um coração de cristais
...Ouviu-se: é Natal...é Natal...

Beijinhos por tantas maravilhas que nos escreves.
Feliz Natal, Feliz Natal

Vitor Chuva disse...

Olá, Manuela!

Tempo de desejar Boas festas e Feliz Natal, com tudo de bom, e na companhia daqueles de quem mais gosta.

Com um abraço amigo
Vitor

Mariazita Azevedo disse...

Na impossibilidade de dirigir a cada amiga/o uma mensagem de Natal personalizada, escrevi umas palavras muito simples mas bem significativas do meu sentir:

“Neste Natal gostaria de trazer-te:
O verde da árvore – a cor da Esperança;
E, das bolas coloridas:
- O vermelho – a cor do meu Amor fraterno;
- O azul – a cor da suavidade dos Anjos;
- O dourado – a cor da prosperidade que te desejo;
- O roxo – a tristeza que sinto quando não te vejo;
- O branco – A Paz que quero para a tua vida.
No tanger dos sinos ouve a minha voz pedindo protecção para ti e toda a tua família.
Seja onde for que te encontres deixa-me ser um pouco do teu Natal.
Mas… acima de tudo, desejo que, na tua noite de Natal, o “Menino” não tenha que perguntar:
- Então e eu? - (V. minha postagem de 27/12/2009 – NATAL DE QUEM?)

Mil beijos natalícios
Mariazita
(Link para o meu blog principal)

Nilson Barcelli disse...

Talvez Ele pudesse fazer-nos melhores e maiores...
Manuela, minha querida amiga, desejo-te um FELIZ NATAL e um PRÓSPERO ANO NOVO.
BOAS FESTAS.
Beijo.

Isa Lisboa disse...

Somos mesmo muito pequenos ainda, mas a cada Natal, eu espero que consigamos crescer!

Deixo o meu desejo de um Feliz Natal e de um 2014 sempre com criatividade e com estas lindas estórias!

Um beijinho, Manuela!

disse...

Vinte ver se já tinhas recuperado o polígono...

Américo do Sul disse...

Trépido escorrego.
No peito, em alto relevo,
passa um deus passarinho.
O brilho dos cristais
incendeiam na seda. Logo cedo.
Viver é sopro solitário
de um verbo substantivo inquieto.
Cada palavra no seu gargalo...

Jacintinha Marto disse...

Só para lhe desejar um bom ano de 2014.

Com a partida da Amália e do Eusébio, sou o último dos Três Éfes a vir aqui ler poesia, e beber beleza, enfim, aquilo que posso, porque sou analfabeta, como sabe.

Bem haja