memento






É tão pequeno. Maior a cauda achatada, os incisivos dentes. A inquietação líquida dos leitos, a toca que constrói bloqueando as correntes. Porquê ser assim um pé na terra e o outro no rio e as mãos de cinco dedos como se fora gente. A carregar troncos e a amassar pedras e lodo.
São os rapineiros que lhe arrancam a pele, mas ainda assim e porque sim, suspende o ar nos pulmões e vê o que apenas se entende lá em baixo na profundidade da água.
Imagino-o, gota arquitetada e quieta a sonhar represas como nós.




castor é mortal como nós

22 comentários:

. intemporal . disse...

.

.

. um "memento" acima de quaisquer expetativas . a cor . o cheiro . o sabor de cada sílaba doce como se fora a vida inteira apenas e só para estar aqui .

.

. ao pé de Si . :))) .

.

. clap . clap . clap . clap . clap .

.

. íssimo feliz .

.

.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Como nós!

Vitor Chuva disse...

Olá, Manuela!

Bonito memento,este;desta vez com o rio ao fundo:em forma de merecida homenagem a este arquitecto construtor cheio de talento.E que para mal dos seus pecados, tem uma pele por "nós" cobiçada...

Boa semana; um abraço
Vitor

Rita Freitas disse...

E muito sonhamos!

Bjs e uma boa semana

Marcos Satoru Kawanami disse...

Manuela,

E o castor não pensa em nos matar.


=)
Marcos

Kika disse...

Kriu?

As caudas destes bichanos são muito práticas para sacudir o pó dos rabiosques das poetesas enfermeiras, as quais, permanecendo tanto tempo sentadas, nas respetivas tertúlias, dele, não se livram facilmente, gorditos que também são...

Kriu!

disse...

Poderão servir também para levar ao forno os casqueiros de Fânzeres, sem que corramos o risco de nos queimarmos irremediavelmente...

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Na profundidade da água o pequeno castor deleita-se com ... História com Mar ao Fundo tal como eu, como nós.

Lindo castor!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Novembro de 2013

Nilson Barcelli disse...

Um trabalhador incansável.
Ainda que mortal como nós...
Manuela, tem uma boa semana.
Um beijo, minha querida amiga.

© Piedade Araújo Sol disse...

castor como nós (mortal)

:)

ki.ti disse...

esse aí,
ainda concorre ao estoril-open


só precisa de uns ténis e uns calções

Mz disse...

Por vezes os tamanhos das coisas parecem-nos desproporcionais, depois, se observarmos bem, todos concordamos que tudo tem um propósito.

É muito bonito o teu Castor, Manuela.

Um abraço.

Isa Lisboa disse...

Sim, a sonhar represas! Parece-me um lindo sonho!
Um abraço

Silenciosamente ouvindo... disse...

memento...mortal...e as suas
palavras buscando encantamentos
para nos cativar...ou fazer
refletir...ao som de uma música
tão suave...
Bom fim de semana.
Bj.
Irene Alves

Luís Alves da Costa disse...

É pequeno e são fantásticos, os roedores.

Pessoas não humanas, ou humanos sem forma humana, conseguem manter as relações mais intensas e profundas do que esses tristes seres, que, um dia, se lembraram de designar... humanos

Evanir disse...

O amor de Deus é considerado o mair de todas as conquistas.
por isso este é o amor de maior força em nosso coração.
E através desse amor , que depositamos nossa fé e esperança
em tudo ,que planejamos para nossas vidas.
Como já é tradição minha a nove anos falar de fé , esperança e
amor hoje não poderia ser diferente voltar sempre , que preciso me ausentar
falando de amor , fé e esperança.
Eu espero , que um dia o amor de Deus seja o maior dentro de todos os corações.
Obrigada pelo seu carinho comigo, obrigada por saber , que existe um cantinho
para mim no seu lindo coração.
Que seu Domingo seja tremendamente lindo beijos,Evanir.

Kalinka disse...

Boa tarde


como adoro
ouvir
ler
sentir
e estar
neste "memento"


O Universo é feito essencialmente de coisa nenhuma...
(escreveu António Gedeão)
não é que às vezes concordo com isso?
...
é tudo tão efémero
nós é que não nos apercebemos!
...
cada dia mais que passa
as pessoas estão vazias
distantes

http://pensamentosimagens.blogspot.pt/
http://momentos-perfeitos.blogspot.pt/

um beijinho
(Tulipa) ou kalinka

Beatriz disse...

Um grande arquiteto, o castor....
Devagar e sempre, vai moldando sua morada, no meio do rio, no meio do nada.

Não temos castores no Brasil, que pena....

Bjs Manuela

Bia

ONG ALERTA disse...

Muito lindo este momento...
Beijo Lisette

Nilson Barcelli disse...

Reli com o mesmo prazer da primeira vez o teu magnífico texto.
Manuela, minha querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Que pensará o castor nos momentos em que se afunda nas águas e represa o ar dos pulmões...??

Maria Silva disse...

Muitos e tantos pontos de [:-!] e gritos [:-@]de grande aplauso.
Falar de originalidade é mero exercício retórico.