abstracção


Quando ele chegou ela mal deu por ele, pensou, a janela bateu com o vento, uma criança brincou com uma pedra nos vidros, uma fisga para matar os pássaros, crueldade da infância, quem diz que não, engana-se.
Olharam-se, ele reconheceu-a, pálida, magra, uma luz no olhar, tão jovem seria. A brancura imaculada do vestido.
Falou-lhe de desígnios e ela não entendeu, da dureza da vida, da inquietação da morte, ela riu-se. Perguntou-lhe, tens asas, és um pássaro? Ele não respondeu, envergonhado.
Se não és deste mundo, porque me vens desinquietar? Ele não sabia, cumpria uma vontade, um desejo, um destino, uma fortuna, uma sina. Contou-lhe de uma estrela, candente, que atearia fogo à erva fria, alumiaria a escuridão dos poços, a solidão das grutas, a crueza dos dias. Disse-lhe que seria belo. Ela sentiu compaixão por ele, cansado das palavras mas firme nas convicções, na ilusão de uma história que ainda não era a sua e disse que sim.
Calaram-se e escutaram o crepitar da lenha, a luz das velas oscilou um pouco, um cão vadio quebrou o silêncio da madrugada.


fotos de mb

24 comentários:

. intemporal . disse...

.

. cumpria um/o mandamento . o do homem.entre.o.homem . entre.o.agora.e.o.de.pois .

.

. a espera .

.

. para que o agora possa ser um dia o de.pois e a dois . três . tantos . todos . juntos . unos . usufruam e fruam sob o desígnio da e.ternidade . da plenitude .

.

.

. onde a Lei é universal . o amor .

.

.

. ele já cá esteve .

.

. ela lá chegará ...

.

.

. íssimo feliz .

.

AC disse...

Haja o que houver, há-de haver sempre um cavaleiro da esperança...
(Manuela, já nem sei que diga da sua escrita. Quando a leio, abre-se sempre uma espécie de portal do tempo e é tudo tão real, tão convincente...)

Beijo :)

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


...!

Obrigado pela tua ajuda e pela tua contribuição!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 8 de Dezembro de 2010

f@ disse...

Olá Manela,
O silencio aquecido da lareira no labirinto iluminado de latido tão ténue …
encolhidas as palavras na luz de tantas velas…
agora o eco das ondas sempre a deslizar na areia…
nos seixos pequenos e nas conchas partidas…
os vestígios de tantas madrugadas onde recolher a espuma…
posso desenhar uma estrela?
E um peixe?
E um coração?
Tb posso escrever na areia bordada?

-
Podem – disse ele

Sempre o B ELO… gostei de+
!mensos Beijinhos

Beatriz disse...

Tão lindo Manuela!
à luz develas tudo fica sublime, assim como sua poesia!
Beijos,
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Fragmentos Betty Martins disse...

._______vim do andar debaixo...


trago no meu coração o calor "daquela manta quente"


.e

aqui fico na "inquietação" tranquila_______sim! porque existem inquietações.tranquilas [em mim]:)

.o

que o nosso coração palpita.sente
o.que o sangue grita dentro de nós________vida!

é a certeza que tudo se cumprirá. no seu propósito absoluto

...

belo
pelo sentido
belíssimo pelo verdadeiro


///






___________________///






beijO______ternO

Maria João disse...

E assim foi semeada a esperança e ainda é.

Rendo-me.
Em espera...
Porque a sua escrita é sempre redentora.

Um beijinho, Manuela

BRANCAMAR disse...

Lindo demais!
A demanda de uma ilusão, a firmeza das convicções num ser de outro mundo.
E o silêncio preenchido de quase tudo, na madrugada...
Adorei e saio pé ante pé para não quebrar a quietude e escutarem todos os sons da alma.

Beijos
Branca

© Piedade Araújo Sol disse...

sem palavras.

apenas que gostei muito de ler.

e tb me parece ouvir o crepitar da lenha a se transformar em calor que aquece o corpo e por vezes alma.

beij

Manuela Freitas disse...

Olá Manuela,

Depois de fruir da manta quente, leio este texto e por ele sigo e imagens colam-se ao pensamento, a jovem, o homem com asas, enviado para cumprir uma missão, a estrela, a espera...talvez os dias passem depressa...há o crepitar da lenha...a luz da vela...
... ...
Beijos,
Manuela

walter disse...

Manuela

digo-lhe apenas que me curvo à Luz deste Encontro Revelador e acendo uma vela à jovem magra e pálida de vestido imaculado...


passou agora no céu uma estrela cadente... sigo-lhe o rasto!

um beijo

walter

Canduxa disse...

Manuela,

Ainda cansada mas sedenta das suas doces história vim aqui sentir a magia deste cantinho.
Cada palavra que escreve é como passáro em liberdade e sente-se acesa a chama do amor.
Uma delícia!

Espero voltar em breve.

mil beijinhos de luz

Por toda minha Vida disse...

Manu.

Minha amiga ando ocupada mas logo voltarei, passei para matar a saudade de tuas histórias.

Beijo

Renata

Pimpinela Chinela disse...

Olá Manuela,

Vim deixar beijinhos e desejar bom fim de semana

beijinhos pimpi

manuela baptista disse...

...pimpi...

:))

alegria de viver disse...

Olá querida amiga

Lindo, tudo que escreve tem um poder, nos prende. Agora vou meditar.

Com muito carinho BJS.
Bom fim de semana.

Dulce AC disse...

"Calaram-se e escutaram o crepitar da lenha.."

E que bom que é sentir a esperança..neste silêncio de escuta e de contemplação..neste silêncio que nos faz bem que nos faz tanta falta...

Lindo lindo Manuela.
O Natal está a chegar e lembro o comboio de tantos apeadeiros...saudades no meu coração de um outro tempo muito bom que viverá para sempre em mim..:))

Muitos beijinhos num abracinho grande grande

dulce

Bento Bisneto disse...

As velas são bonitas, mas fazem-me errar o alvo por vezes...

Bento

. intemporal . disse...

.

. 20 .

.

. vin.te . ver .

.

. :))))))))))) .

.

. um bom domingo, querida "mANU" .

.

. e,,, .

.

. um . dois e três íssimos felizes .

.

António R. disse...

Há anjos, há desígnios e há estrelas. Todos fazem parte dos sonhos. Só a dureza da vida não faz parte dos sonhos.
Abraço

lupuscanissignatus disse...

subtil

simbólico

e iluminado

de poesia






*abraço*

O Profeta disse...

...Quem sou
Nunca me encontrei na letra de uma canção
Nunca toquei duas notas seguidas em harmonia
Mas perdi-me às vezes na ilusão

Reencontrei-me com o amor
Amargura mora sempre com a razão
Um mágico nem sempre acerta
No seu golpe de mão

Mas fiz mil tentativas nesta viola
Nenhuma nota bateu-me certa
Sou um triste e patético tocador
Desta...Melodia Incompleta...

Doce beijo

Nilson Barcelli disse...

Gostei muito do texto.
Para além da abstracção, que dá o título às tuas palavras, achei que existe algo de místico nelas.
Em qualquer caso, é um excelente texto e belíssimo.
Querida amiga, boa semana.
Um beijo.

manuela baptista disse...

grata a todos!

manuela