ARTICULAÇÃO DE UM SENTIMENTO

so gentle, so furious
© Ursula I Abresch
-
Ouço-a na calma das tardes trazida pelo vento manso, sem tropeções nem pressas, dissimulada no marulhar das folhas, como o respirar leve da mais pequena das criaturas.
Às vezes procuro-a entre a multidão barulhenta e sei que ela está lá, alegria pura, cristal que ressoa, brilhante, transparente. Permanece no ruído, com ele e depois dele e o ruído não é mais ruído, apenas pano de palco, objecto de cena.
Inexplicável na ternura de um grito de criança, princípio dos princípios, antes muito antes do olhar da mãe, do embalo de um choro triste.
Característica eminentemente humana transforma-se na mais desumana de todas elas, basta uma inflexão cruel, uma intensidade que esmaga, uma pronunciação de ódio. Disfonia das disfonias, arrepiamo-nos com a sua imensidão de trevas, pode ser o carrasco o seu portador, o assassino, o terror dos terrores.
Quando é tomada pela fúria, varre-nos a face como um vento agreste, seca-nos o peito e as entranhas, desesperadamente expulsa-nos de qualquer paraíso terreal.
Cansada, cansa-nos, desfaz-nos a esperança, desiste de nós. Triste, é como a neve sobre um pássaro morto, gelado, abandonado na sua fragilidade humilde.
Cava, desce à profundidade da terra, bem colocada, sobe-nos à cabeça como o mais encorpado dos vinhos.
Mas quando a invadem ondas de alegria, estonteamo-nos com ela, sentimos o coração quente e os olhos brilhantes, as nossas mãos agitam-se como caules flexíveis e tenros e os nossos pés são capazes de dançar quietos. E que mansa e suave também pode ser, mal tocando os lábios e a língua, fascínio dos fascínios, embriaguez dos sentidos, cegueira de quem não quer mais nada senão ouvi-la e não a deixar partir!
E bela será, se possuir em si todos os tons, a altura das estrelas, a ressonância infinita dos rios subterrâneos, a gentileza de uma papoila vermelha, a doçura do mel,o cheiro das laranjeiras em flor, beleza suprema, eufonia, a articulação perfeita de um sentimento.
-
Esta é uma página tocada pelo silêncio da fala, da minha voz, da vossa voz.
Como construtor solitário de vozes, imagino-as, invento-as com as palavras que me vão emprestando.
-
-
Manuela Baptista
Estoril, 31 de Janeiro 2010

39 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

HISTÓRIA DE VIDA



História de um sentimento
que sulca e evolui no tempo
que se amesquinha fugaz
até à alegria que traz

Não o agarro invento
tanto mais se a cem por cento
dele não sou capataz
nem tão pouco uma tenaz

Nasce num choro capaz
de não saber quanto tento
dele conter o que assaz

Mais gostaria que o vento
o cantasse cheio de lás
notas minhas meu sustento


Maravilhoso!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 31 de Janeiro de 2010

direitinho disse...

Os sentimentos poeticamente descritos, abertos, antagónicos e reais mas sempre diferentes e pessoais.
Tantas vezes piores que as melhores bebedeiras em que os pés dançam parados e os olhos encantados buscam luz.

manuela baptista disse...

em lá maior

agradeço o sonetar!

alegria, no Maravilhoso!comentar...

Manuela

manuela baptista disse...

Luis

são os sentimentos da nossa voz

ou talvez

a voz dos nossos sentimentos.

um abraço

Manuela

Maria Emília disse...

Com que subtileza, Manuela, tua voz canta a Alegria, chora a Tristeza e proclama o Amor.
Um beijinho,
Maria Emília

Eva Gonçalves disse...

Que linda homenagem àquela característica que nos torna tão humanos, em que o dom da palavra e da comunicação verbal nos separa geneticamente dos demais... em que através dela, articulamos o sentimento mais nobre e profundamente indescritível, rivalizamos com o canto dos mais puros e dotados anjos celestiais, deslumbramos ouvintes com histórias de encantar... e quando a silenciamos, a memória das nossa palavras, continuarão a ser música para os ouvidos daqueles que amamos. :) Beijo

Nuance disse...

Gostei demais deste texto!
Abraço.
Fátima.

manuela baptista disse...

Maria Emília

e com igual subtileza

dou-lhe um abraço!

Manuela

manuela baptista disse...

Eva

bonitas palavras,

ouvintes das minhas...

beijos

Manuela

manuela baptista disse...

Fátima

eu também! :)))

um beijo

Manuela

Filomena disse...

Gostei muito, Manuela!
Se tivesse voz ligava-lhe e falávamos um bocadinho, mas perdi o pio, fiquei afónica, o que faz com que me deleite ainda mais com as suas palavras.

Beijinhos mudos

walter disse...

Notável este texto, dos mais densos e intensos que li aqui... nesta varanda viradinha para o mar.

Assoma à janela da minha alma, o mais puro sentimento de amizade.

Obrigada pela partilha

Beijinhos

manuela baptista disse...

Filomena!

nem de propósito!

E eu que não contemplei os que perdem o pio...

Mas nas suas palavras escritas, oiço-a.

As melhoras e já agora, como é que manda calar a canalhinha??

um beijo

Manuela

manuela baptista disse...

Walter

e como é que um talentoso fotógrafo captaria a voz de cada um de nós? A sua voz?

pois aqui estou também, nestas janelas

da alma e do coração

e chamo-lhe amigo e dou-lhe um grandeeeeeeeeeee abraço!

Manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

FILOMENA E MANUELA


Filomena,

As melhoras da afonia, um beijinho


Manuela,

Como é que um fotógrafo captaria a voz!?

Escrevendo já que a escrita é a fotografia dela mesma!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 1 de Fevereiro de 2010

Canduxa disse...

O amor, a alegria e tristeza entrelaçados e unidos dentro de cada um de nós…
O suave cântico desses sentimentos que fazem de nós seres mais sofredores ou mais felizes mas que despertos podem fazer de nós seres em perfeita harmonia.

Conseguiu descrever de uma forma intensa, sentimentos que todo o ser humano experimenta na sua passagem por este Mundo.
Conseguiu dar voz a todos nós que no silêncio a ouvem também.
Obrigado por nos escutar e imaginar nesse silêncio….essa é a magia do sentir!

Para si Manuela, um grande SORRISO

A.S. disse...

Manuela...
Um texto soberbo!

Escuto a palavra na festa do silêncio. nada é inacessivel no silêncio ou no poema. a palavra se aveluda na corola do silêncio...


Beijos
AL

*Lisa_B* disse...

Manuela,

a sua voz imagino-a doce...deste lado vou construindo a sua voz em cada conto que escreve e entoação que dá ao mesmo.
Gostei e gostei e mais gostei....:-)

Intenso até à última linha.

Beijinhos nossos

Lisa_B e Bruno_B

casos e acasos da vida disse...

Minha amiga,
Tudo isto é vida...
a música da vida, que ouvimos e que está em tudo, até na mais pequenina erva...lembrei-me de Walt Whitman...
Suas palavras são sempre um desafio ao mergulho mais fundo de mim mesma!...
Bjs.
Manuela

Dulce AC disse...

"E bela será, se possuir em si todos os tons, a altura das estrelas, a ressonância infinita dos rios subterrâneos, a gentileza de uma papoila vermelha, a doçura do mel,o cheiro das laranjeiras em flor, beleza suprema, eufonia, a articulação perfeita de um sentimento."

E foi-o a articulação perfeita de um sentimento numa voz... a Sua Manuela que nos chegou por via de palavras tão profundamente sentidas.
Gostei muito...!!

Um beijinho articulado pela doçura do mel e por muitas estrelinhas.
dulce

manuela baptista disse...

Jaime

a escrita é a fotografia da voz?! ná.........

O fotógrafo que responda...

eu nesta matéria fico afónica!

Manuela

manuela baptista disse...

:)))))))))))))Canduxa!

imaginando o silêncio e a harmonia perfeita!

beijos

Manuela

manuela baptista disse...

A.S.

aveludada é a luz

que brilha no silêncio das pétalas...

agradeço o seu comentário!

um abraço

Manuela

manuela baptista disse...

Lisa B

Sabe que a Filomena e a Isabel Venâncio, que foram as primeiras pessoas com quem eu "falei" nos blogues, chamavam-me "doce Manuela".

Tem graça ter feito exactamente o mesmo comentário!

Na verdade eu também não sei como é que é a minha voz, porque o que nós ouvimos não é exactamente igual ao que os outros ouvem...

Nós temos muitas vozes!

Beijos aos dois

Manuela

manuela baptista disse...

Marisa

"I celebrate myself, and sing myself
And what I assume you shall assume
For every atom belonging to me as good belongs to you"

Song of Myself de "Leaves of Grass" Walt Whitman

um beijo

Manuela

manuela baptista disse...

Dulcinha docinha!

já apanhei todas as estrelinhas, agora não sei como é que as vou guardar...

Beijinhos

Manuela

Dulce AC disse...

Manuela,

Não precisa preocupar-se em as guardar
por simplesmente as estrelinhas
já viverem em Si... silêncio voz encanto...
Beijinhos.
dulce ac

Graça Pereira disse...

Cada palavra, ainda que breve, ciciada com a ternura dos sentimentos, refresca-nos de qualquer furia desvairada de um vendaval que por nós tenha passado e devolve-nos à paz da espera!
Um beijo amigo
Graça

manuela baptista disse...

Dulce

olhe que posso ficar vaidosa e insuportável!!

beijinhos

Manuela

manuela baptista disse...

Graça

sussurrando
ciciando
segredando
rumorejando

é bonito "à paz da espera"!

um beijo

Manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Ficas afónica!?

Então porque estampas, fotográfica, a tua voz desta maneira?

Ná ... digo eu!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 2 de Fevereiro de 2010

Dulce AC disse...

Ná ... digo também eu Manuela..!

Jamais a conheceremos insuportável..., esta é a verdade

No sê-lo vaidosa..e porque não?!!

Beijinhos de certeza por me sentir tão grata pela Sua amizade.

dulce ac

O Profeta disse...

Chove bem no meio do mar
São de fogo as manhãs na ilha
A seda púrpura é lençol de amantes
Os olhos roubam a virtude à maravilha

Enchi a taça com absinto
Ergui o braço, toquei uma nuvem carmim
Ensaiei um passo de dança 
Senti que os pássaros riam de mim

Senti o resto da geada em descalços pés
Calei minha viola de dois corações
Deixei entrar no peito o tamborilar de perdidas gotas
Senti o sabor sal das minhas emoções


Convido-te a partilhar a outra metade


Mágico beijo

. intemporal . disse...

.

. neste silêncio que fala .

. deixo.lhe a voz .

. agora pertença de nós .

. bel.íssimo,,, manuela .

.

. no misto de sentimentos tantos, que frente-a-frente, lado-a-lado, ou de costas voltadas até, condicionam ou determinam o anverso e o reverso dos dias .

. de todos os dias .

. de tantos os dias .

.

. um beijo total, entre.aromas de chás que lhe trarei em breve, sabe de onde . xiiiuuuu !!! .

. esta é a página do silêncio que fala .

.

. paulo .

.

manuela baptista disse...

Dulce

vaidosa? porque, ná......!

beijinhos

Manuela

manuela baptista disse...

Profeta

obrigada pelo convite!

Sabe que consigo, acho sempre que não estamos a falar da mesma coisa...

"Chove bem no meio do mar"

um abraço

Manuela

manuela baptista disse...

Paulo

fico então

com ela, a sua voz!
apenas emprestada, claro.

porque há coisas que se devem contemplar no silêncio dos dias

guardando as cores e os aromas especialmente aqueles que habitam o país mágico de Xiiuuu.

um beijo

Manuela

Brancamar disse...

E como é a sua voz Manuela?
Ouço-a, no contar de histórias que nos enchem as noites ao deitar, que é o que vou fazer agora, depois de ler este magistral conto de tantas e variadas vozes, ou de tantos e variados tons de voz, dos mais belos e meigos, aos mais agrestes e que bem sabe como ferem e que bem diz como as vozes de mel curam.
Estas são sempre páginas de quem sabe muito da vida...e gosta de ensinar.
Beijos.

manuela baptista disse...

Branquinha! :))))

beijos

Manuela