RODANDO

Joana era tímida, silenciosa, gostava de pássaros, amava secretamente um Poeta e tinha um vestido branco de algodão.
Judite era cruel, insensível, corajosa, detestava animais, desinquietava os homens e não amava nenhum. Usava um vestido vermelho de seda pura.
Julieta era alegre, carinhosa, determinada, o seu vestido era de linho azul e gostava de um Marinheiro.
As três eram fisicamente tão parecidas que apenas as distinguiam pela cor dos vestidos e pela tonalidade da voz: como o voo suave de um pássaro, como cristais de gelo, como a água de um ribeiro.
As pessoas diziam:
-Passou um pássaro!
Era Joana.
-Que frio!
Era Judite.
-Não ouvem esta canção?
Era Julieta.
Nenhuma delas se podia ver ao espelho, porque se assustava com o reflexo das outras.

Nenhuma delas podia caminhar ao entardecer porque tinha medo da própria sombra.
As três moravam numa casa baixa virada para o mar, com sete portas, sete janelas e um pátio branco, onde em noites de muito calor se estendiam no chão contemplando as estrelas e tagarelando umas com as outras.
Nesses instantes as suas vozes confundiam-se e os cristais de gelo derretiam-se, o pássaro voava mais alto e a água do rio saltava das margens em dia de tempestade ou descia suave pelas encostas.
O riso saía do seu esconderijo e enchia a noite de festa.
No roupeiro, os vestidos de algodão branco, os vermelhos de seda pura e os de linho azul, saltavam dos cabides, ganhavam vida e percorriam a casa dançando uma Giga, em passos loucos e ritmados.
O Poeta, escrevinhando um eterno poema de amor, lembrava-se de Joana. O Marinheiro suspirando no mar alto sentia saudades de Julieta e os outros homens, solitários e tristes tinham inveja de Judite.
Há muitos anos atrás alguém perguntara:
-Quem se lembrou de chamar a esta menina Joana Judite Julieta?
-
Esta é a página sem número em que nos perguntamos, quantos de nós somos apenas UM?

Manuela Baptista
Estoril, 17 de Agosto 2009

22 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

PAGINA SEM NÚMERO


Página sem número ou número dois ( onze de um e um ) e em que um, sendo dois, trinitários se desdobram e multiplicam reflectidos, em si mesmos, um no outro e os dois em todos os demais.

Para variar, é linda a tua história!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 24 de Agosto de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

... como as demais!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 24 de Agosto de 2009

manuela baptista disse...

Muito obrigada Político!

Manuela Baptista

Nota: Político é um dos Eus do Jaime

Filomena disse...

Ora aí está!

Que bela história e que bela pergunta.

Somos todos feitos de bocadinhos genéticos, de bocadinhos apreendidos, de bocadinhos de outros bocadinhos.

Lembrei-me das "brumas de Avalon" e de uma pergunta que artur( penso que é ele) faz sobre uma mulher e o facto de ela ser deusa( não me lembro pois não tenho aqui os livros)mas acho que é assim." é porque tu és a deusa e nela todas as mulheres são uma?)

Perdi-me um bocadinho mas a ideia do seu texto estará talvez presente nesta frase.

Beijinhos

manuela baptista disse...

Filomena

E qualquer coisa também como: "Todos os deuses são um deus"?...

As Brumas de Avalon! De facto a minha história sendo clara como a água, é um pouco brumosa! Mas as brumas também são água, não são?

Beijinhos para si

Manuela Baptista

Filomena disse...

São! E a sua história não é nada brumosa, é clara como as águas da fonte.

Beijinhos

manuela baptista disse...

Enquanto estive ausente, Leonardo da Vinci passou por aqui e deixou-me uma Gioconda vestida de Marisa Soveral.

Só posso sentir-me honrada!

Manuela Baptista

Ana Cristina disse...

Manuela,

vinda ali do lado e a ouvir falar o Prof.Adriano Moreira (que muito admiro) em conversa com o Mário Crespo na SIC Notícias,apetece-me dizer:que fantástico contador de histórias!

O "Parlamento dos Murmúrios"...;)

1 beijinho
Ana Cristina

Eliane Santoro da Costa disse...

Gostei da maneira interessante de você contar histórias!

Um abraço!

manuela baptista disse...

Ana Cristina

Esta contadora de histórias agradece a sua passagem por este mar e por fazer ouvir a sua voz!

Como sabe, pode sempre entrar e ficar em silêncio...

O "parlamento dos murmúrios" é um conceito inspirado e inspirador, o prof. Adriano é de cepa!

Um beijinho

Manuela Baptista

manuela baptista disse...

Eliane

Seja bem vinda e traga as suas fadas.

Saudades para o Rio, aqui deste Mar.

Um abraço

Manuela Baptista

Alegria disse...

Linda, maravilhosa, instigante e misteriosa. o destino de cada uma qual seria, o destino de três ou de uma?
O que me resta senão agradecer por ter acesso a pessoas tão distintas, de sensibilidade e inteligência divinas.

Beijos

Renata Vasconcellos.

manuela baptista disse...

Renata

...como o nosso próprio destino, que avança a par com o destino dos outros.

Assim as pessoas sensíveis também o são, porque têm entre si comentadores e amigos inteligentes e igualmente sensíveis.

A Alegria chegou connosco a este cais e navega agora neste mar.

Um grande abraço

Manuela Baptista

Chris disse...

Histórias com um sentido especial que encontrei por aqui.
Abraço
Chris

manuela baptista disse...

Chris

Ainda há quem navegue na madrugada!

Obrigada pelas palavras e pela presença.

Um abraço

Manuela Baptista

Linda Simões disse...

...Adoro vermelho!E azul,do MAR.

Judite?...

Será?...

Para refletir se as cores realmente nos dizem algo...Vou investigar!


Beijinhos

manuela baptista disse...

Vermelho?

É!

Um beijo à Linda

Manuela Baptista

ju rigoni disse...

O eu alimenta-se ao nutrir ou deixar à míngua outros eus. Eus sem pouso nem repouso... Ainda que tivéssemos muitas vidas não seríamos apresentados a todos esses seres misteriosos que nos habitam (e que me fascinam).

Fascinam-me também os seus escritos. Vou-me encantada pelos eus revelados em sua poética prosa.

Obrigada, querida, por mais essa prazerosa leitura.

Bjs, uma boa semana. E inté!

epee disse...

Alguns. Nenhum uns! Muitos. E diversos. A cada tempo um e na essência de um único outro.

Um poema numa poesia a refletir... e a colorir, os dias, às vezes tão confusos, de uns.

¬

epee disse...

Desculpe-me, via Ju Rigoni, no comentário em seu post.

¬

manuela baptista disse...

obrigada Ju!

pela paciência em me ler...

inté, pois então!

um beijo

manuela

manuela baptista disse...

epee

obrigada pelo seu comentário!

e se emprestei alguma cor, apenas poderei ficar feliz por isso

um abraço

manuela