garganta amarela, peito azul, máscara preta





Estivam as aves, as de cauda comprida e o tempo incerto a esfriar-lhes as penas. Gosto-lhes do piar e daquelas nuvens de muitas cores quando chegam e voam e ficam.

Vamos ao estuário do rio, à encosta da serra de Montejunto junto com elas, amarelas, azuis, vermelhas e a máscara preta de assustar venenos e chuvas. Vamos.














Abelharuco, Merops apiaster




4 comentários:

mz disse...

Que lindo contar das aves, Manuela!
Eu quero ir.

Um abraço.

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA



... vamos cantando um cântico de abelharuco, cromático como ele é e tu reproduzes tão bem ...

Vamos!



Jaime Latino Ferreira
Estoril, 12 de Abril de 2018

Graça Pires disse...

Também vou com as tuas aves "assustar venenos e chuvas". Magnífico, Manuela!
Um bom fim de semana.
Um beijo.

Mar Arável disse...

Belos os pássaros que se não deixam ver nas palavras