A madrugada é o tempo à espera da luz, um instante de solidão, uma passagem estreita, um bosque denso, um rio escuro, um espinho abismado, uma ausência de flores encarnadas, um reflexo, um eco, um ângulo obtuso.
É uma travessia que fazemos adormecidos, por isso a suportamos e refazemos a cada dia. Mas hoje não, às vinte e quatro horas não, esta noite não, agora não.
Porque sim, há outros tempos e espaços de claridade no centro da escuridão.









ao blog INTEMPORAL e ao seu autor







17 comentários:

ki.ti disse...

MANUELA BAPTISTA

eu hoje sou a primeira!

:))))

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA



Há sim, basta que o ângulo seja obtuso.



Jaime Latino Ferreira
Estoril, 29 de Novembro de 2014

. intemporal . disse...

.

.

. como se fora um com.passo . da mais sincera espera . há muito edificada em detalhes que se anseiam mínimos . no de.curso de cada dia . que nos tornam mais fortes e que deixam marcas ir.reversíveis . de coração em coração .

.

. momentos antes de clarear o dia . como que a rarear a mestria . se agiganta a travessia .

.

.

. abandonadas as feiras das vaidades . as ladeiras das in.credulidades . des.crentes e ateístas . pros.seguimos . in.diferentes aos sonhos que nunca tivemos . porque são i.numeráveis . outros tantos que vamos tendo . tantos outros que já sabemos . :) .

.

. pela amizade . profunda e generosa . ! grat.íssimo .

.

.

. sempre feliz .

.

.

Kika disse...

Kriu?

Parabéns ao Intemporal que não tem papas na dicção e até a Jacintinha eclodiu mais uma vez e até mais não, a espantar a rigidez, de falsos princípios idos!

Kriu!

disse...

As coisas que tu descobres acerca da madrugada, mulher de Abril...

Parabéns ao Intemporal!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Sim, o pensamento, as lembranças clareiam a escuridão.

:)

Graça Pires disse...

A luz tem ilhas no centro da noite...
Belo, Manuela.
Um beijo.

ONG ALERTA disse...

Sempre haverá uma luz, beijo Lisette,

lidacoelho disse...

E porque não hoje e agora...
Eu quero as madrugadas coloridas
Estou farto da solidão que nos servem em taças esguias...
Votos de um dia maravilhoso.

Mar Arável disse...

À noite tudo é mais claro

Silenciosamente ouvindo... disse...

Às vezes é difícil colocar as letras...
juntá-las...pô-las a dizer algo...
Apetece o silêncio total...
Mas é preciso usar "palavras"...
Um bj.
Irene Alves

Kika disse...

Kriu?

Tanto ele como ela, todos os dias espreitam o teu blogue, para verem se já mudaste de página, se já podem comentar...


Totós!


Kriu!

manuela baptista disse...

Boa noite, Kika!

manuela baptista disse...

agradeço a todos!

Maria Silva disse...

Belíssima homenagem, sem dúvida digna do homenageado.
Assim pudessem ser todas as homenagens e tão dignas quanto os homenageados.
Abraço.

Luís Alves da Costa disse...

É como o Dürer, que coloca o olhar à altura do chão da Terra, e vive a imensidade do Mundo do olhar da relva, onde tudo é gigante e perene

Agostinho disse...

E *com assento agudo* na noite que se faz o dia, as prem|encias do amanh\a.