quimera









O leopardo, ardo, ardo, uge-leopardo do fundo do mar

veio um peixe-tolo, tão tolo, tão peixe sem jeito para nadar

agitou a barbatana caudal, grotesca, cómica, improvável na geografia submarina ou até lunar e borbulhando oxigénio, marulhou:

eu vi uma menina pequenina, magrinha, o que faz ela aqui, tanto perigo nas rochas e o medo do leão que é cabra e dragão

ou fantasia
ilusão

E os peixes entoaram a nota lá, do lado de lá, embalaram os caranguejos e as anémonas, os navios e os faróis, as estrelas e os cavalos marinhos, as quimeras e os desejos de sal

que dá sabor às utopias









para a M. M. porque ainda é pequenina











17 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


E a M.M. dormiu embalada pelo sono dos justos que é sal, é Mar.


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 8 de Setembro de 2013

Graça Pereira disse...

Vim encher-me de poesia e...magia! Preciso delas!
Estive ausente para terminar o meu livro que, está na fase de revisão...um sonho simples, como eu!
Nunca te esqueci mas...não consigo esticar o tempo!
Mil beijos.

Filomena disse...

Manuela!

Perfeito!
Sem mais.


Beijos M.M.M.

Filomena disse...

Manuela!

Perfeito!

Beijos a


M.M

Rita Freitas disse...

Uma suave magia :)

Bjs

Vitor Chuva disse...

Olá, Manuela!

Magia e poesia, rimam aqui docemente com maresia.
E a MM certamente que terá ficado encantada com este mar...

Abraço amigo; boa semana.
Vitor

Linda Simões disse...

Eu me encanto com o mar, com o conto e com a Manuela!

Beijinhos de saudade,


Linda Simões

Kika disse...

Kriu?

Fosse eu gaivota e seria a ave predilecta da M. do M.

Kriu!

disse...

A "Criação" é também a herança de um futuro que se quer melhor e para sempre!

Por isso herdei a coleira do F.

. intemporal . disse...

.

.

. são missangas que o arco íris saberá colorir . de modo a embelezar um tempo . exacto .

.

. parabéns a todos . e que sejam saudáveis e amplamente felizes .

.

. íssimo . mais do que feliz .

.

.

ki.ti disse...

ó Té

és de olhão!

e já estou fartinha de peixes, ainda por cima não posso comer nenhum

Silenciosamente ouvindo... disse...

A M.M. deve ter gostado muito,
porque está muita magia nesta
sua história.
Bj.
Irene Alves

© Piedade Araújo Sol disse...

e por vezes a magia é mais que uma utopia.

a MM deve ter gostado, tanto como eu gostei.

beijinho Manela


:)

Luís Alves da Costa disse...

"que dá sabor às utopias": boa terra, onde somos poucos a viver.

O país ideal, bela pátria, belíssimo poema.

P.S. - A sua presença no Braganza está a ter cada vez mais ecos, portanto, babe-se, está no clube das mulheres raras :-)))

. intemporal . disse...

.

.

. a fama . a reputação . a glória .

. a humildade .

.

. habitam aqui . e passam o fim de semana na maior casa de campo do mundo . the braganza mothers . a Sua e também a nossa praia .

. grande manu.ela.de.elo . :) .

.

.

Nilson Barcelli disse...

Uma historinha deliciosa.
Uma utopia sem sabor é uma perda de tempo...
Manuela, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Mz disse...

É que o fundo
do mar
pode ser
perigoso.

Mas o peixe-tolo
que é tão tolo,
parece-me muito cuidadoso.

Que bonita fantasia
essa do outro lado
tem sal, tem poesia
que a MM deve ter adorado!

Um abraço
Manuela