improvável

Sei da árvore nua, o desejo lúcido de entrar no limite dos dias, espaço habitado pela invenção do inverno em que a água ferve, a erva gela e o chá é uma taça onde navega um barco de papel.
O açúcar forma uma ondulação permanente, o farrapo de leite deleita-se em velas enfunadas e se uma bolacha de manteiga se soltasse, naufragava o papel e o barco e o peixe-chá derreteria o conto de um fundo de mar doce, como o algodão da rama que não há mesmo se fosse.
Em cada ausência de folha escorrega um pingo de tinta, um salpico, serenico, um insecto falador atravessa uma janela aberta, toca no piano um dó maior, a árvore estremece.
E neva junto ao mar quando escurece.


pintura a óleo de mb

30 comentários:

Alis disse...

Olá Manuela,

tal como te disse, com toda a beleza da neve nos galhos e por toda a parte nem pelos intervalos dos flocos podemos deslizar sem tocar esse doce fresco de algodão...

e assim vestida de f®io e seda a árvore empresta ao ©éu uma luz que existe só no canto do olho e na !maginação da estrela que pinta e escreve o calor que agita os ramos de sentir…
Mto B E L O

Infinito beijinho

. intemporal . disse...

.

. clap . clap . clap . clap .
. clap . clap . clap . clap .
. clap . clap . clap . clap .
. clap . clap . clap . clap .
. clap . clap . clap . clap .
. clap . clap . clap . clap .
. clap . clap . clap . clap .
. clap . clap . clap . clap .

.

. respirar é sempre tão pouco .

.

. íssimo feliz . íssimo .

.

disse...

Olá Manuela,
...

é uma árvore com um vestido esvoaçante, feito de penas de nuvem…
modelito mto gracioso que deixa a nudez transparecer aos olhos dos pássaros…

Mto B E L O texto e pintura

!
N
F
I
N beijinhos
I
T
O
S

AC disse...

Há nas suas palavras um universo íntimo, protegido, forrado de ternuras e memórias temperadas com o sabor do tempo...
Há nas suas palavras um piscar de olho à harmonia, aos nomes das coisas, à salvação das almas...
Há nas suas palavras um convite irrecusável ao belo, ao mergulho transcendente...

Beijo :)

walter disse...

yessssssssssssssssssssss

yessssssssssssssssssssssssssss...!

:)))

tá escuro mas é mais dia do que nunca!

e a música donde vem é da arvóre nua?

ah... deve ser o chá a fumegar...

yesssssssssss...

tá frio...mas tá quentinho aqui!

eu volto mas não comam as bolachas todas!

beijos

pássaro-folha

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


MAIOR


Maior
o dó
como um insecto
não está só
nem a cor escura
é pó
de neve que cai
no eiró


Muito bem, muito bonito!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Novembro de 2010

f@ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
f@ disse...

Olá Manuela,

Mto B E L O texto e pintura excelente…

o segredo tranquilo de ver escorrer do céu o canto das aves…
devagarinho a construir ninhos em todos os galhos
abraços… depois na ternura da noite acon©hegam lá dentro a lua , espreitam os chilreios da ®elva, os calafrios dos homens ….
e voam


voltam de biquinhos amarelos e vermelhos na noite de Natal…

!
N
F
I
N
T
O

beijinho

. intemporal . disse...

.

. sei de uma sensibilidade única .

.

. de uma força atroz . salutar . lúdica .

.

. de uma mulher veloz . da terra telúrica .

.

. a cada ausência a urgência .

.

. da excelência . na prevalência .

.

. sei da pele que acaricia o limite . que ninguém imite .

.

. sei deste barco como convite .

.

. de resto, nada sei .

.

. e nada mais preciso saber .

.

. que não seja do Ser que acontece e junto ao mar neva, quando escurece .

.

.

. manuela baPtista, não há quem resista ! . :))) .

.

. íssimo feliz .

.

O Rasteirinho disse...

Ei, quem apagô a luz aí?

Não tou enxergando direito!!!

Vai, abre essa luz, vai!

Um beijinho de quem, de quem?

D`O Rasteirinho, pois escuro!

manuela baptista disse...

apagadas as luzes,
durmam bem!

fica a árvore acordada, com um crocodilo aos pés

as bolachas, molham-se no chá

e fazemos hglup!de tão doces que são

um abraço a todos

manuela

Por toda minha Vida disse...

Manu.

Lindo, pude sentir o cheiro da erva, o calor do chá, a nota musical e o aconchego de uma noite fria com neve só você para nos fazer sentir o que esta longe...

Renata

BRANCAMAR disse...

A arte no desenhar e no saber dizer, Manuela contadora de contos envolventes e que dão calor ao nosso Inverno.
Lindíssimo.

Beijos
Branca

Bento disse...

Este é um blogue com total merecimento da faculdade de distinção.

Assim vale a pena...

Cumprimentos!
Bento

Graça Pires disse...

"Neva junto ao mar qundo escurece" por isso não acredites se te disserem que a neve é sempre branca nos teus olhos...
Um belíssimo texto!
Um grande beijo.

Dulce AC disse...

"um insecto falador atravessa uma janela aberta, toca no piano um dó maior"

ouvi aqui essa nota Manuela
e quão maravilhoso foi...

e os improváveis afinal também podem sempre acontecer em nós,
sempre na nossa imaginação
porque quem tem um coração grande
tudo pode e a nada abrimos a janela
ao mundo...

Muitos beijinhos num abraço muito amigo.
Maravilhosa esta Sua página..e é sempre assim..!

dulce

contagotas disse...

Toca no piano um dó maior
E neva junto ao mar quando escurece.

Não vou repetir o que sempre lhe digo, apenas transcrevo a evidência.

Beijos
MariaIvone

Ana Oliveira disse...

Li... como quem bebe de uma taça muito antiga, o mel e o leite, perfumados de especiarias...

Obrigada

Um beijo

Fragmentos Betty Martins disse...

._________querida Manuela





escrever
num pingo.de.tinta.giallo

alimentar a história num mar.doce

uma identidade.forma e espaço
recebendo pinceladas de algodão.mel

__________viciando os meus olhos

que gotejam-melados

para deleite [não só meu]
mas também do peixe-chá

que golosamente me penteia as pestanas...

_______na esperança de chegar à bolacha de manteiga...


///

________é uma delícia maravilhosa esta mágica.viagem tão tocante


.a sua!




_________///





beijO______ternO

. intemporal . disse...

.

. :) .

. 20 . vim.te ver . :) .

.

. sempre íssimo .

.

. de coração .

.

walter disse...

são quase cinco da tarde...

venho tomar um chá consigo!

obrigada... sem açucar, por favor!

está uma delícia Manuela!

Benó disse...

Apetece-me tomar um chá. Com bolachas de manteiga que se derretem mas são crocantes.
Foi agradável, é uma delicia a sua companhia.

Manuela Freitas disse...

Olá Manuela,
Estranhei chegar aqui e encontrar as luzes apagadas, mas fez-se luz com o belíssimo texto poético!..
Beijinhos,
Manuela

alegria de viver disse...

Olá querida amiga

Apesar do inverno, o frio não veio, aqui tem calor humano, a luz desse coração aquece todos que por aqui passam.
A arvore ficou linda com neve.
É a mágica da natureza fabricando flocos de algodão.

Amiga, lindo fim de semana, todo o meu carinho BJS.

© Piedade Araújo Sol disse...

leitura cativante pela sua forma poética no dedilhar das palavras.

beijo

f@ disse...

...
©huva e vento… su AVE para que os flocos de neve abracem os ®amos…

beijinhossssssssss

Maria João disse...

Manuela;

Soltou-se o pingo, respingo do respirar lento dessa folha. Sinto-o doce, a tocar-me a pele e a inundar essa nota que em dó maior me aquece da neve num barco de papel à deriva.

Um beijinho, misturado numa colher de açucar.

Linda Simões disse...

Manuela,minha querida!

Pingo.Respingo. Num barco de papel. Numa chávena de chá.Nevando quando escurece...

Tudo é tão raro e tão linda é a melodia...

...

Dulce (um beijinho)

Manuela e Jaime


Abraços

Bettencourt de Noronha disse...

Manuela,

Aqui é sempre certa e nunca provável e muito menos improvável a qualidade exemplar da sua escrita.

Um abraço,

Carlos

JB disse...

Sempre que leio o que escreve, em cada palavra encontro um doce desejo de entrar texto adentro. As sensações que se desprendem aprisionam-me os sentidos dando liberdade ao pensamento que se despe e aconchega no chá, no açúcar, num salpico...
É simplesmente lindíssima cada tela onde escorre cada pingo da sua tinata!

Beijinho