dos sons


redefinimos murmúrios intranquilos colamos o ouvido à terra pálida
um dia dizemos são e eles vão



reconstituída a matéria incerta dos sonhos
um arrefecimento em germinar dormente ainda não nevou mas cresce o vidro


inventados os mitos da água das nascentes crescente é o quarto da lua
o nosso tem cortinas de espanto e liberta almofadas de folhas


na primeira geada a da madrugada de novembro
canta um silencioso pássaro azul na noite fria


nuvem.pássaro - desenho de mb

25 comentários:

BRANCAMAR disse...

Manuela,

Os desenhos são um espanto e o poema lindo, em tons de Novembro, mas voo com o pássaro azul, a minha côr de eleição e sinto-me quente...apesar da noite fria.
Posso trazer o pássaro para o meu cantinho, onde me sinto tão aconchegada? Adorei este tom de azul-sonho, com asas tão abrangentes.

Beijos
Branca

Alis disse...

Olá Manela,

do riso dos sons…
ás pedras onde se abrigam os gelos…
o musical do solo invade o entardecer embaciado
o vidro duplo tira de cena a faculdade de ver os pássaros…
só o azul mergulha no silencio e na indiferença e deixa transparecer um rosa violeta perfumado…

Belos desenhos para ir + longe…
Infinitos beijinho

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


SOM


Matéria incerta dos sonhos
dos mitos
luar
dos aflitos
cortina de espanto
das folhas
é canto azul
um murmúrio
pulsar da terra
um augúrio

Som é mar
é o ar
bater de asas
amar

É um desenho
larvar
na inconstância
do estar


Belo desenho e poema!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 12 de Novembro de 2010

. intemporal . disse...

.

"O sono voltou, os olhos fecham-se e as pestanas têm o peso das pedras do rio, o silêncio reconquistou a madrugada, nem pingo, nem telha, nem tábua, apenas na lareira estalam os gravetos como as castanhas assadas, mornos e ensonados como ele. Descolou a testa do vidro, afastou-se da janela e deslizou novamente para a cama, a sua mão acariciou a dobra do lençol e a ave já não estava lá."

.

. permanece aqui . no seu voo a ser tanto .

.

. tampouco as palavras todas a serem tão pouco por serem tantas .

.

. íssimo feliz .

.

Manuela Freitas disse...

Olá Manuela,

Conjugação perfeita e bela, entre palavras e desenhos!
Esse pássaro azul também passa por aqui, fico fascinada com o seu canto e gostava de ter asas, para o acompanhar!...

Beijos,

Manuela

walter disse...

colo o ouvido ao vidro estaladiço que cresce frio sobre a terra e crac crac crac... abrem-se fendas profundas...
ups! ouço o borbulhar de um caldeirão fervente...que som tão quente!
bom! é melhor voltar a tapar as fendas, não quero ser o responsável pelo estilhaçar do canto de um silencioso pássaro azul a atravessar a noite fria...

olha... já é dia! a nuvem-pássaro já o não é, multiplicou-se num bando de mil; o canto do pássaro azul desfez o vidro, agora, é um riacho que corre a cantar descendo o caminho redondo do monte por onde há-de passar o pastor guiando um rebanho de chocalhos; as folhas semi-adormecidas elevam-se no ar sopradas pela boca do vento e no ar estalam como foguetes ao serem beijadas pela claridade, e os sonhos que a noite gerou de matéria incerta é algodão doce a crescer em tufos para o sol lamber...

Manuela,

mas que barulhinho bom... o seu!

um beijo

Walter

AC disse...

Na incerteza das coisas, o sonho ainda é o que parece mais credível. Assim, guarnecidos de mitos e lendas, olhamos em volta enquanto o pássaro azul esconjura a assombração do frio dos dias…

Gosto sempre, Manuela!

Beijo :)

O Rasteirinho disse...

Este blogue é o mais lindo
Assim como é o meu corpanzil
Chego aqui num instantinho
Sou chegado do Brasil

Porque eu sou o mais bonito
Da terra inteira e do infinito
E tenho saudades do carrapito
De quem escreve o que aqui está escrito

De tão feliz até a cauda se me arrebita
Porque me cheira a gigot de pito
Sai daí, não é pra ti, ó tita
É aqui pró mais bonito

Croc, croc, croc, croc, croc!

Um beijinho de quem? de quem?

D`O Rasteirinho, pois claro.

manuela baptista disse...

"Croquinho do Rio
calor que provoca arrepio
dragão tatuado no braço

adoro ver-te

Menino vadio
Tensão flutuante do Rio
Eu canto prá Deus
Proteger-te"

...mano Caetano, perrrdôa a adaptação...

e no Brasil, fazem gigot de rasteirinhos!!

uma festinha Croc!

manuela

Graça Pereira disse...

Os sons não são iguais
Cantam de modo diferente!
Ás vezes, são apenas ais
e o chorar de muita gente!

Gosto daquele dos passarinhos
Onde há um azul nos pinhais...
espalham sons nos seus ninhos
que caiem em gotas nos trigais.

Há muito amor nas canções
feitas de sons de todo o tempo...
Derretem-se os corações
Na nostalgia do sentimento!

Beijo. Adorei os desenhos.
Graça

JBártolo disse...

Olá Manuela:
Estou deslumbrado com mais estes desenhos.Era uma das minhas paixões que se foi... O poema também é lindo.
Obrigado por estes presentes.
Beijinhos

Insana disse...

Doce... Lindo


bjs
Insana

Maria João disse...

Manuela

Agarro-me às asas deste pássaro azul que se sente livre no contorno acastanhado das montanhas.
Voamos os dois.
Eu aqueço as mãos nas suas penas, ele sorri de soslaio, mesmo pelo cantinho do olho.
Iremos longe, penso eu.
Ele é feito da matéria com que se reconstituem os sonhos e eu preciso de reaprender a sonhar.

Manuela, sei que me repito, mas gosto tanto de a ler; aqui e ali, claro!

Um beijinho
Obrigada

disse...

Olá Manuela,

...
o sumo das raízes só os pássaros bebem...

colorida e sumarenta semana
beijinhossssssssssssss

Linda Simões disse...

Manuela,

Querida!


Um pássaro azul na noite fria
...

Há um pássaro que canta todos os dias na arvore ao lado da janela do meu quarto

E eu não sei a sua cor
...

:))

Um beijinho

Dulce AC disse...

"na primeira geada a da madrugada de novembro
canta um silencioso pássaro azul na noite fria"

é bom ..muito bom mesmo ouvirmos na madrugada de um dia frio, um canto de um pássaro azul...

Manuela Olá num abracinho forte de tão amigo

Gostei muito... e os seus desenhos encantaram-me...

dulce

alegria de viver disse...

Olá linda amiga

Estão belos estes desenhos, consigo decifrar varias coisas, montanhas, arvores, céu, nuvem, e um lindo passaro, enfim a natureza na sua maior simplicidade.
No momento adormecida recria a vida para nos presentear mais tarde, na beleza do brotar para assim aprendermos a esperar.

Com muito carinho BJS.

BRANCAMAR disse...

Olá Manuela,

Vim ouvir a música do pássaro azul antes de adormecer.
Adoro este pássaro a voar sobre os tons castanhos do Outono.
Levo-o comigo nos sonhos.

Beijinhos e uma boa noite
Branca

AFRICA EM POESIA disse...

Manuela
Lindas imagens ...


Saudades


....... O meu livro "CAMINHEI...CAMINHANDO!" finalmente vai nascer.......
Mais um sonho realizado.
Um sonho transformado em poesia.
A todos os meus amigos deixo a capa no meu blog

um beijo
lili laranjo

. intemporal . disse...

.

. 20 . vim.te ver .

.

. :))) .

.

. sempre íssimo .

.

Por toda minha Vida disse...

Manu.

Voltei hoje, aqui em Olinda tivemos a feira do livro, fliporto, foi interessante, ando ainda as voltas com uma pequena participação que farei em um livro com novos autores, feliz e acho que teu pássaro canta para mim nas manhãs quentes e olhe que aqui em casa temos vários pássaros, adorei teus desenhos.

beijo amiga.

Renata

Nilson Barcelli disse...

Magníficas palavras e fotos, querida amiga Manuela.

Gostei imenso deste teu post.

Beijos.

Beatriz disse...

Manuela
Como sempre, o desenho suave nasceu para a singela palavra (aliás, belas palavras)...foram feitos um para o outro!
Parabéns!!!
Beijinho,
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

© Piedade Araújo Sol disse...

as palavras estão bonitas, cativantes como os sonhos, os desenhos muito bem enquadrados.

muito bonito....

beij

manuela baptista disse...

grata

a todos!

manuela