vozes últimas

-
entre risos abriam-se as janelas e as cortinas fugiam espantadas.
das portas ninguém sabia as chaves que fechavam
lá fora a relva crescia desencontrada das flores e a terra e o baloiço baloiçavam
.
cheirava a lavanda e a chá de tília
as torradas inundadas de manteiga e os quadrados de marmelada escondiam-se medrosos em bolsos de ladrões de quase nada
.
na chaminé cabia sempre um sonho ou no sótão onde o vento assobiava
assustando papões
homens feios
lobos
aves negras
dragões da sorte
.
porque o medo ama a madrugada
.
nem sei porque cresci
se deus quiser amanhã vamos ao zoológico e se deus não quiser porque não vamos?
não se desafia deus
e até fomos
.
éramos tantos e a casa cantava
-
-
para a minha mãe
-
(o desenho aguarelado é meu)
-
Manuela Baptista
2010/05/01

39 comentários:

direitinho disse...

Olá linda menina
Obrigado pelo comentário.
Nós fomos e voltámos. Foi uma semanita e eu fiz uma sintese do que se viveu nesses dias e publiquei.

Aqui já passei mas vinha já muito cansado e com as letras atravessadas nos olhos abarrotados de sono.
Nem conseguia ler e para comentar eu gosto de ler e saborear as tuas histórias sempre cheias de misticismo, suspense ou outras coisas que não sei traduzir.

A tua escrita é maravilhosa. Consegues abrir as janelas quando ninguém sabe das chaves das portas e depois vai tudo numa corrida desentendida e onde os medos e os ladrões fogem de bolsos vazios, até a relva se apressa em crescer deixando as flores escondidas.
Simplesmente bonito.

Jaime Latino Ferreira disse...

SIMPLES PRENDA SUBLIME


Se tua mãe soubesse
a simplicidade
que trouxeste
na vida que quiseste
trazer para nossa casa
cantaria
connosco aqui
nesta alegria
e Deus
não se importaria
que o desafiássemos
assim
e por tão pouco


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 1 de Maio de 2010

casos e acasos da vida disse...

Manuela,
O encantamento continua, pelas suas palavras, pela canção pelas imagens!...
Há magia por aqui...
Por vezes sinto-me inibida nos comentários a deixar...não encontro as palavras certas, que correspondam ao que sinto.
bjs

Brancamar disse...

Manuela,

A sua mãe deve estar encantada por perceber que a filha não lhe esqueceu o jeito de contar histórias, pois quem escreve assim só pode ter tido junto de si uma grande Mestra.
A aguarela ou desenho aguarelado se assim lhe quer chamar é lindíssimo e o texto é soberbo.

Um Feliz dia para todas as mães com beijinhos, estejam onde estiverem, para a sua um especial.
Branca

walter disse...

Bom dia Manuela,

Estou deveras encantado pela frescura de tão belo presente que oferece à sua Mãe.

Para si, para todas as Mães, toda a ternura de um beijo.

Não podia ter escolhido outra coisa que não fosse, um jardim plantado por si, para emoldurar tão amoroso presente.

Tenha um dia muito muito feliz.

Walter

Filomena disse...

Manuela!

Lindíssimo texto e uma encantadora aguarela.
Que belos presentes para o dia da Mãe

( eu também já tive os meus)


Beijinhos

. intemporal . disse...

.

. bOM dIA mAnUeLa,,, .

. :) .

. que página tão bonita ... .

. a aguarela é linda . que pena ser a.penas Sua . no entanto, sinto.me muito feliz e um privilegiado até em poder contemplá.la aqui .

. permita.me que a leve também comigo,,, poder-me-á fazer falta breve.mente .

. o texto é bel.íssimo e de uma ternura suculenta .

. "amei.de.amar" . e se pudesse ficaria todo o dia por aqui, neste canto onde me sinto tão confortável .

. uM bEiJiNhO amplo e total .

.

. no dia da MãE para todas as mães do mundo .

.

. paulo .

.

sonia disse...

Manuela,
Obrigada por seguires o meu blog, tb já vou seguir o teu. Este blog parace uma floresta cheio de lindas sombras que são as palavras que escreves. Gostaria de também escrever assim

Bjo

manuela baptista disse...

Luís

simplesmente gratificada!

Ainda bem que foi...e que voltou.

um abraço

Manuela

manuela baptista disse...

Jaime

bonita prenda sublime!

Manuela

manuela baptista disse...

Marisa

quando não souber traduzir, não diga nada...eu sei que anda por aqui!

beijos

Manuela

manuela baptista disse...

Branca

é verdade, estejam onde estiverem, porque a minha anda por aqui, mas de uma outra forma...

a minha mãe contava-nos muitas histórias, mas não estava só!

Na minha família todos tinham o dom da oralidade, a minha avó, com os seus contos tradicionais e assustadores como a Dama Pé de Cabra, um tio que sabia pôr os bonecos a falar sem mexer um músculo, outra tia que inventava personagens que andavam pela casa e a minha irmã e meia dúzia de primos que ensaiavam e representavam peças de teatro. Era asim uma espécie de teatrices...

Chamo desenho aguarelado porque não domino a técnica da aguarela e sai assim...

beijinhos

Manuela

Canduxa disse...

Manuela,

deliciosa história que relembra a infância onde não falta nada...até os quadrados de marmelada que voavam para os bolsos que não eram de ninguém....faz-me lembrar também a minha infância.

Sua mãe sorri, escondida entre as flores do jardim, com todas estas memórias que vivem no seu coração....são sublimes!

um grande abraço

manuela baptista disse...

Walter, pássaro, peixe e gaivota!

aqui deste jardim plantado envio-lhe um beijo

Manuela

manuela baptista disse...

Filomena

...virtuais ou de carne e osso? Era bom não era, apertar a sua menininha?

beijinhos

Manuela

manuela baptista disse...

bOa TaRDe pAulO!

(fico sempre com os olhos em bico ;=] quando tento imitá-lo...)

pode ficar aqui neste canto, que agora está ao sol e sabe tão bem, com uma ventania louca lá fora!

eu acho que as mães hoje soltaram qualquer coisa pelos céus...até me interrogo se não me andarei a portar mal!

pode levar o desenho se quiser, até fico feliz com isso

um beijo total

Manuela

manuela baptista disse...

sonia

obrigada pelas palavras e seja bem vinda!

um abraço

Manuela

manuela baptista disse...

Canduxa

e eram tão bons aqueles quadrados de marmelada, não eram? Agora há assim umas imitações, mas não é a mesma coisa...

beijinhos

Manuela

manuela baptista disse...

Rasteirinho!

agora é que te vi, tão pequenino...entalado entre a sonia e o poeminis!

então e agora? para te seguir tenho de ir parar ao charco, não?

e como digo a todos: sê bem vindo!

uma festinha

Manuela

O Rasteirinho disse...

Eu não sou Rasteirinho
Pois Rasteirinhos há tantos
Eu sou O Rasteirinho
Para todos repleto de encantos

Entre a Sónia e o Poeminis
Prefiro a companhia da esquerda
A da direita pode pingar do nariz
Mas a Sónia não é nada lerda

Porque eu sou o mais bonito
Do mundo inteiro avantajado
Ao contemplar o seu carrapito
Eu sinto-me O Rasteirinho alado

Que anda por todo o lado
Mas é aqui que eu quero ficar
Pois ando eu muito cansado
Do meu amor não encontrar

Um beijinho de quem? de quem?

D`O Rasteirinho, pois claro.

*Lisa_B* disse...

Querida Manuela,

excelente prend para a Mãe.
A aguarela a emoldura o poema...
Felicito a Mãe e a filha pois nota-se que uma é a continuação do Ser e Estar da outra.

Desejo que este dia tenha sidfo bem especial e feliz...

Deixo aqui beijnhos para si Manuela, e para todas as filhas e Mães do Mundo para além das queridas que aqui passam e lhe fazem companhia.

Saudades que sentimos agora que temos pouquissimo tempo para andar pela net.

alegria de viver disse...

Querida amiga
Começo pelo desenho lindo, tomara eu desenhar assim é belíssimo.
Sua mãe é feliz com tão bela homenagem, um conto para contar quantas vezes poder.
Com muito carinho BJS.

manuela baptista disse...

A Manuela, pede desculpa a

O Rasteirinho

por ter avacalhado o seu pedigree

o primeiro dos nossos direitos é o direito ao nosso nome, sejamos nós homens ou pássaros!

por isso te chamo Croc...

agora vai lá à página anterior e vê como as meninas de carrapito dançam tão bem...

e se estás cansado
canta uma canção de embalar
sonha com uma princesa
que amanhã te irá acordar

boa noite O!

A manuela

Dulce AC disse...

"éramos tantos e a casa cantava"

Um abracinho e um beijinho de música de muitos ouvida em casa...
(Olá Manuela!)

Obrigado pelas cores em mistura perfeita de palavras de encontro ...que tanto adorei.

Beijinhos para as Mães...

dulce ac

Chris disse...

Sabores que a memória guarda, ao redescobrir a sua própria voz...
Um beijo
Chris

Por toda minha Vida disse...

Manu, bom dia.

Minha amiga só chegará em agosto o baby, um meninho, mais um homem em minha vida, rsrsrsrs, não deixei claro avisa também a Graça, e teu dias das mães foi lindo tenho certeza, aqui é agora domingo (9 de maio). Adorei a aquarela, flores amo também as borboletas na sua próxima tela entre uma pincelada molhada e outra faz uma voar...

Beijos em ti, no Jaime e nos filhotes.

Renata

Fragmentos Betty Martins disse...

.________querida Manuela





.

os. ventos trazem
as. vozes do tempo

os aromas de olhos dóceis

___________pendurados nos cabelos de tília brincam os medos______um.dó.li.tá...

e
os re.cantos brancos da casa
cantavam.cantavam

e
as janelas sorriam________...


///

a beleza da aguarela.composição da harmonia






_______________///









beijO_______ternO

manuela baptista disse...

Rufina, Alegria de Viver

um conto

para ter muitos contos para contar...

beijinhos

Manuela

manuela baptista disse...

Dulce

o dia já passou, mas as mães não

um beijo para si e para a sua mãe!

Manuela

manuela baptista disse...

Chris

na minha memória

ainda reconheço a sua voz

um beijo

Manuela

manuela baptista disse...

Renata

uma borboleta prometida

para quando o menino
vier!

beijinhos

Manu

manuela baptista disse...

querida Betty

um
o vento a soprar


a casa a cantar

li
o conto a sonhar


aqui a pintar

...terna é quem chega
depois de maio chegar!

um beijo

Manuela

manuela baptista disse...

Lisa B

atarefada amiga!

pinte e torne a pintar

nós ficamos sempre à espera de vos ver e aos vossos tesouros

beijinhos

Manuela

sideny disse...

Ola Manuela

Bonita a sua tela.

lindo o texto.

beijinhos e uma boa semana.

manuela baptista disse...

Sideny

arauta das boas semanas!

beijinhos miúda

Manuela

Graça Pereira disse...

Manela
As alegrias parecem-nos sempre breves...que bom lembrar uma casa onde as cortinas das janelas fugiam espantadas...onde se marcou o compasso do tempo...onde se viveu, se respirou e se cresceu...
Que bom lembrar a inocência e os espanto das crianças a celebrar dias felizes...quando todos estavam reunidos à volta da borboleta mãe...
Os que se foram com as aves e as folhas, voltam sempre no sussurro do vento...quando as cortinas das janelas se afastam de mansinho..
O desenho está lindo, como tudo o que tu fazes...
Beijo carinhoso
Graça

manuela baptista disse...

Graça Pereira

e como tu entendes sempre tão bem

os sussurros destes meus pedaços de escrita!

beijinhos

Manuela

Linda Simões disse...

...

Cheirava a lavanda...

abriam-se as janelas...


Moça, é bom vir aqui.


E encontrar cheirinho de lavanda!



Beijoquinhas

manuela baptista disse...

Linda

...se eu não espreito nesta janela...

não te via!

um beijinho a cheirar a lavanda

Manuela