poderiam ser lírios do mar ou penas de pássaro não fora a memória trazer-nos à tona









Inevitavelmente o rapaz cresceu. Guardou as pedras das praias, as conchas, os pedaços de metal dos barcos naufragados, duas ou três escamas de peixe e muitos cadernos de marear. Os dedos dos pés tinham-se ligado por uma membrana e ele, distraído, não sabia identificar a sua causa. Dava-lhe jeito quando nadava de bruços e aquela marca era motivo de troça, mas ele não ouvia os comentários de ninguém pois nada havia a comentar.
E deixou marinar os atóis e as tartarugas, o peixe de coração azul e as medusas e os quatro pontos cardeais.
Às vezes vinha-lhe à memória uma estrela e a seis mil metros de profundidade dançava ainda e não era planta, nem escama, nem peixe, nem lírio do mar.












escama última de "o peixe, a medusa e a estrela"

red feather starfish de seu nome







20 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Um lírio para esta tua linda história!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 26 de Maio de 2014

Isa Lisboa disse...

Talvez essa estrela ainda o leve a muitas viagens!
Como sempre, um sonho, estas suas histórias! :)
Boa semana, Manuela

Mariazita disse...

Olá, Manuela
Tenho andado um pouco ausente... mas apenas por ter pouco tempo.
O meu segundo livro esteve "emperrado" muito tempo - mais de um ano :((( - e agora está a começar a caminhar de novo.

O teu texto, como sempre, transportou-me no sonho.
Obrigada!

Uma excelente semana.
Beijinhos

Graça Pires disse...

Era um lírio, sim. Não do mar, mas da pura leveza da dança no chão profundo do peito...
Um grande beijo, Manuela.

Kika disse...

Kriu?

Que página tão bonita :)

Não sei como tens tempo para tanta coisa, ele é escrever, ele é desenhar, ele é pintar, ele é publicar, será o teu tempo elástico com a língua das armindas do campo?

Kriu?

disse...

São tão bonitas as tuas publicações que só as consigo apreciar com a pata esquerda pousadinha sobre o meu coração...

Beatriz disse...

É que as estrelas-do-mar são mágicas, e o mundo em que vivem também.... Sorte a dele!

Beijinho Manuela

Bia

Agostinho disse...

Ainda não era e no entanto é. Bonita a história.

. intemporal . disse...

.

.

. tão bonito . manuela .

.

. muito bonito mesmo .

.

. um grande beijo . manuela . :))) .

.

.

Rita Freitas disse...

E era uma dança tão bela!
Mágico e belo.

Beijinhos

Vitor Chuva disse...

Olá, Manuela!

Bem fundo lá no mar, sem saber muito bem o que lhe aconteceu, a metamorfose continua em curso.E quem sabe se ele não retornará um dia à forma primitiva donde nasceu...?

Um abraço e boa semana.
Vitor

Joaquim do Carmo (Quicas) disse...

... "histórias" sempre belas que o mar traz "à tona", Manuela! Tão bela, esta, sim, poderia "ser lírio"!
Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

a imaginação aliada a uma capacidade bela de as transportar para a escrita.

muito belo!

:)

Marcos Satoru Kawanami disse...

Muito enigmático para eu entender. Mas há ternura, e combina com a música de fundo.

Kika disse...

Kriu?

Sabias que os teus contos estão a ser traduzidos pela maior editora de Bagdade? Pois estão... Só que a tua sorte é como a da Mariazita, assim que se preparavam para os publicar, explodiram todos...

Um grande beijo, Manuela.

Kriu!

disse...

Não é preciso sair-se da península ibérica para que encontrem pacóvias a traduzirem os excrementos daquelas que são as maiores poetisas deste país...

Graça Pereira disse...

Lírios do mar ou penas de pássaro,o que interessava...era feliz e dançava na profundidade do mar...Mas eu acredito que não fica por aqui a sua transformação... quem sabe se não veremos ainda um peixe com asas voando no céu muito azul, confundido com o mar ? Prodigiosa a tua imaginação, Manuela. Uma imaginação que me seduz.
Beijo e um bom começo de Junho.
Graça

ki.ti disse...

duas ou três escamas de peixe?

eu por mim, ficava com o peixe


Rita Freitas disse...

Queria eu poder dançar no fundo do mar mesmo não sendo lírio do mar :)

beijinhos

mz disse...

Todos crescemos, guardamos coisas, transformamo-nos. Guardamos memórias do antes e até com alguma expectativa falamos do que ainda não existe.Todos temos um bocadinho deste rapaz.


Um abraço.