de marear


Quando o céu escureceu, naquela confusão que deixa os dias aflitos numa ausência de sol e não é noite ainda, pegou num saco e nele meteu uma muda de roupa, uma camisola grossa de lã, o cachecol novo, castanho dourado cor de mel, uma faca de marinheiro, uma caneta azul e preta e um caderno de viajar.
O mapa do tesouro sabia-o de cor, mas dobrou-o, quatro vezes como sempre fazia e continuaria a fazer e guardou-o no bolso das calças juntamente com a oração ao anjo. Tinha-a na cabeça como o mapa, mas gostava de sentir o cartão ligeiramente amachucado e visualizar o menino à beira do precipício e o anjo, alto, belo, com aquelas asas enormes e a mão estendida, prestes a segurar a criança.

Às vezes pensava “um dia o menino cai…ou cansa-se o anjo de assim estar…” mas estava certo, de que nada aconteceria nem a um, nem ao outro, enquanto o santinho colorido permanecesse junto dele.
O barco, apanhou-o no lago do jardim e zarparam os dois sem ninguém dar por isso.
No mar calmo ondearam peixes e ouviam-se nitidamente as vozes escondidas nos oceanos e o canto dos pássaros lilás, que o saudaram loucos de desnorte e o incitaram a navegar. As velas enfunadas estalavam e sempre que o vento amainava sentava-se no convés e escrevia com a caneta azul, mas preta e contava-se os contos que sabia e desenhava os que nunca contaria.
E se as baleias ousassem roçagar na proa do navio, ele sabia que o mar ia alto e certa era a carta de marear e na passagem de uma margem para outra margem, estava ele e o anjo para o sossegar.

desenhos de mb

24 comentários:

f@ disse...

Olá Manela...
...
nunca escurece o céu ...
as tuas cores são únicas e brilham mesmo no escuro...
brilho Teu...
adorei...

!menso beijinho

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


estava ele
o anjo
e a menina
sempre bela
e colorida


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 27 de Dezembro de 2010

Alis disse...

Olá Manela,
Como hoje… chumbo… porque o céu está fundo e eu fiquei sem saber o que dizer do Teu barco das velas cor de sol…
dos chilreios navegantes ao encontro de pássaros lilás…
encantos dos peixes…

Ainda as histórias a tinta no caderno viajante… salpicadas de espuma e canções de areia…
Sereia que sabe escrever no molhado e desenhar com a tinta das nuvens encobertas de magia…

Caio Aqui como sombra e lodo de uma rocha presa a estrelas e corais…

Mto B ELO…

!menso beijinho

AC disse...

Manuela,
Ler os seus textos é entrar num mundo paralelo absolutamente fabuloso, em que as coisas (re)adquirem as sua verdadeira dimensão.

Beijo :)

walter disse...

Boa noite Manuela!

pouco me importa que o céu escureça, que o frio me rasgue a pele e o mar não esteja de feição,

se cá dentro há uma vontade que me impele a ser maior do que eu e no bolso tenho sempre um par de asas...

Manuela,
muito lindo este seu navegar!

um beijo

Walter

. intemporal . disse...

.

. e por ora re.digo o walter na íntegra .

.

. porque cá dentro existe a mesm.íssima vontade . como faculdade comum .

.

. a de ser o aconchego do anjo .

.

. porque do mapa do tesouro res.guardamos as linhas com que nos alinha.vamos .

.

.

.

. entre.linhas . até nas entre.linhas . somos porque estamos .

.

. é aqui que sossegamos .

.

. é aqui que reinamos e queremos dançar .

.

. aqui . e só aqui é o nosso lugar .

.

.

. íssimo feliz . e um íssimo por um triz ao de leve sobre o nariz .

.

. onde a amizade não falha, porque assim se diz e re.diz .

.

. paulo .

.

Fézada disse...

Auf!

Obrigado pela amizade durante o jantar...

Ainda que por baixo da mesa!

Auf!

Auf!

Janaina Cruz disse...

O menino confiava no anjo e o anjo confiava nas aventuras do menino, e na esperança de que tudo fosse possível, o saquinho colorido lhes servia de combustível, e assim atravessamos mares e montanhas, pois temos a fome da descoberta e a fé do retorno...
Ameiiiiiiii!! :)

Ótimo ano novo.

Maria João disse...

E assim estamos nós, Manuela, na passagem de uma margem para a outra...
Escrevemos e misturamos o azul da tinta com o vermelho do coração e pintamos o mar de verde, para que às vezes seja prado, para corrermos soltos e sem medo das ondas e outras, pincelamos a escuridão da noite com o branco das nuvens e o colorido das asas dos pássaros e voamos por cima dos rios sem molhar a alma.
Assim estamos nós...sabendo de cor os caminhos do tesouro e das asas do anjo.
E que bom que é estar!

Entre margens, deixo-lhe um enorme abraço e a minha gratidão pelo privilégio que me concede na amizade e na partilha da escrita.

Feliz Ano Novo, Manuela!

Maria João disse...

Pois... voltei, querida Manuela.

Voltei com uma paleta de cores novinha, a última estava estragada, vá se lá saber porquê...
desta vez trago o Sol para misturar à tinta azul... assim sim, temos o verde prato.

O que faço ao coração?
Fica a emoldurar o seu texto, claro!

Beijinho e as minhas desculpas!

manuela baptista disse...

...e o que faço eu ao coração????

manuela

António R. disse...

O mar é o alimento da imaginação para muitas histórias. Esta é mais uma onde se ouvem os sussurros do mar. Já sabia que no mar existem sereias e tesouros afundados, hoje fiquei a saber que também há anjos. Gosto sinceramente deste blogue com o mar ao fundo.

Virgínia do Carmo disse...

Que um anjo nos seja sossego, também a nós, no ano que se aproxima...

Feliz 2011!

Um beijinho

BRANCAMAR disse...

Manuela,

Sempre tudo tão bonito no espírito do texto e das imagens, que não sei dizer quanto...
Já passei e repassei,para descobrir sempre mais e mais...
Dos desenhos parece nascerem novas histórias nas gaivotas que esvoaçam e há sempre um "anjo" na passagem dos dias com que sossegamos as inquietações da existência.
Que o seu "anjo da guarda" a acompanhe sempre no novo ano que se avizinha.
Feliz 2011.
Beijos
Branca

Vieira Calado disse...

Olá, boa tarde!

Venho desejar-lhe

BOM ANO de 2011!

Saudações minhas

Graça Pereira disse...

Manela
Levaremos nós tudo o que é necessário para passarmos de uma margem para outra? O mapa do tesouro não o tenho (mas encontrei outro por aqui...) mas levo um coração prontinho a navegar! Sei que o anjo de asas enormes e a mão estendida não se esquecerá de mim e de ninguem. A carta de marear deixo-a nessas mãos cuidadosas e nesse olhar que vê mais longe do que eu e saberá afastar as baleias na altura certa.
Belissimo este teu conto assim como os desenhos que trazem as cores da alegria e da esperança!
Um GRANDE e FELIZ ANO NOVO!
Beijos
Graça

Canduxa disse...

Manuela,

hoje não tenmho tempo para ler a história...mas deve ser linda!
O meu obrigada pela sua companhia, histórias deliciosas e alma linda.
Desejo-lhe um feliz 2011 com muita saude e paz.

beijinhos

*Lisa_B* disse...

Querida Manuela,
há quanto tempo eu não navego neste mar....que saudade!
Penso que em Janeiro (infelizmente) terei mais disponibilidade ( escassez de trabalho) para andar por cá e colocar a leitura em dia.
Tanto chateamos a amiga Ana Martins que ela editou o seu 1º livro, volto a chatear Manuela, para quando esta compilação de lindas estórias para que todos possam lêr, ter à mão na mesinha de cabeceira e abrir os olhos numa insónia, ler e voltar a dormir sonhando com estas maravilhosas aventuras?
Juro que passaria aqui os dias a ler...a si ao lindo Jaime.

Ficam os nossos votos para os dois
"uma noite de fim-de-ano bem festejada com saúde, algum champanhe e muita paz para o novo ano que se avizinha".

Beijinhos cheios de amizade e carinho à querida Manuela e lindo Jaime.

"Deixo a todos os amigos comuns e que não terei tempo de visitar um a um... os mesmos votos de um ano muito feliz."

Beijinhos especiais para:

Linda Simões,Paulo Intemporal, Dulce Ac, Canduxa, Brancamar, Zebracial...

© Piedade Araújo Sol disse...

pois é.... os dias aflitos, também eles se sentem assim...

delicia de texto a fechar o ano.

Um Ano de 2011 cheio de Paz e boa inspiraçao.

beij

Dulce AC disse...

"...naquela confusão que deixa os dias aflitos numa ausência de sol e não é noite ainda..."

Quanta verdade nestas suas palavras...

E que bom é sempre lê-la...E quão imprecindível é tê-la sempre por perto

Querida Amiga Manuela, desejo-Vos (Olá Jaime...!) Um Ano de 2011 de muita ternura e muita Saúde..E porque a vida é também e sempre poesia, deixo um poema do Jaime de que muito gosto...

"UM MAR ANTIGO

Um mar antigo
corrente e confiável
é a idade que trago
que aos destroços
e ao seu toque
os transforma
interminável
em sonho
que invejável
é mais ser naquilo que ponho"
(Jaime Latino Ferreira)

E num abraço muito amigo, deixo-Vos um mar de sorrisos...

Linda, Lisa e Bruno, José...desejo por aqui um Ano de 2011 de Paz e muita Saúde...
E Muita muita ternura.
Beijinhos grandes a Todos.

JB disse...

Que cada dia de 2011 se vista de sorrisos, de alegrias, de esperança...

E sejamos felizes!

Feliz Ano Novo!

Beijinho

manuela baptista disse...

agradeço a todos!

um beijo

manuela

João Correia disse...

Confesso,
Ainda não tive o tempo que é devido para ler com a atenção que é exigida, os textos. A seu tempo, porque aquele me escasseia no dia-a-dia. Mas, adoro as gravuras/desenhos/imagens que os acompanham e cujo bom gosto está de tal forma patente que é impossível não sentir, mesmo quando o tempo me escasseia, no dia-a-dia.

Um Excelente Ano 2011, Manuela.

Folhetim Cultural disse...

meu blog voltou com tudo acompanhe durante a semana noticiário cultural. Espero que goste. Me siga. Abraços boa semana.

informativofolhetimcultural.blogspot.com